Amar

Acordar numa manhã de inverno, colocar os pés frios dentro da pantufa quentinha contra o chão gelado. Sentindo o ar frio enquanto caminha pela casa a procura do casaco. Diversas maneiras para se proteger daquele frio, mas nada o faz sentir-se confortável e quente o suficiente para esquecer aquele temporal. Finalmente o barulho da água quente contra o pó de café. Aquele cheiro que desperta milhares de sensações puras, e o almeja. A fumaça saindo da xícara e exalando ainda mais. O gole, enfim o gole. O gole quente do café, que descongela totalmente o corpo e provoca sublime sensação. O toque que esquenta e dá conforto. Presencialmente, o silêncio e calmaria que invadia todos os cantos do corpo e mente. E o dia, agora acurado.

2 thoughts on “Amar”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s